Siga-nos Você Também!

segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Especialista em terror afirma: “A Fox News está literalmente trabalhando para o ISIS”



A rede foi criticada por hospedar vídeo sem censura de execução do piloto jordaniano

Após a Fox News se tornar a única grande emissora a transmitir o vídeo completo sem censura do piloto jordaniano sendo queimado até a morte, o especialista em terror Malcolm Nance acusou a rede de "literalmente trabalhar para o ISIS".

O vídeo, que mostra a execução cinematográfica arrepiante e brutal de Muadh al-Kasasbeh, não foi transmitido por qualquer outra rede e as cópias do mesmo carregados para o YouTube e outros sites de compartilhamento de vídeos foram deletadas quase que instantaneamente.

No entanto, a Fox News está hospedando o vídeo completo de 22 minutos em seu site com as palavras acima, "alerta, vídeo extremamente forte".

"[Fox News] está literalmente - literalmente - trabalhando para a al-Qaeda e braço da mídia do ISIS", disse Nance, o diretor executivo do grupo de pesquisa do Terror Asymmetrics Project on Strategy, Tactics and Radical Ideology, ao The Guardian.

"Eles são uma organização terrorista. Eles procuram atingir o terror nos corações e mentes das pessoas em todo o mundo, e, pela perpetuação desses vídeos e colocando-os lá fora, na internet, certamente ampliam a audiência e os potenciais efeitos", acrescentou ele, acusando a Fox News de promover o ISIS como uma "plataforma".

"Eles poderiam muito bem começar a enviar a eles cheques de royalties", brincou Nance.

É interessante notar que a cobertura da mídia das execuções do ISIS tinha sido reduzida significativamente antes de queimarem o piloto da Jordânia, com uma sensação de "fadiga de decapitação" insinuado na cobertura da imprensa.

"Queimá-lo vivo também seria algo novo que poderia atrair mais cobertura da mídia, o qual é o objetivo de muitos ataques terroristas", disse James Phillips, pesquisador sênior de assuntos do Oriente Médio na Heritage Foundation.

Parece muito provável que o sofisticado braço de mídia do ISIS viu o novo método brutal de execução como forma de recuperar a atenção da mídia ocidental - apesar do fato de que queimar pessoas é especificamente proibida pelo Islã.

Dada a controvérsia em torno da decisão da Fox News de hospedar o vídeo, também é interessante lembrar o aviso da polícia britânica do ano passado que as pessoas que apenas assistirem os vídeos de propaganda do ISIS, por qualquer razão, poderiam enfrentar prisão sob as leis anti-terroristas.

Fontes:
- 
Infowars: TERROR EXPERT: FOX NEWS IS “LITERALLY WORKING FOR ISIS”
- The Guardian: Fox News website embeds unedited Isis video showing brutal murder of Jordanian pilot
- Daily Signal: Why ISIS Burned Jordanian Pilot Alive
- Infowars: HOW ‘ISLAMIC’ IS THE ISLAMIC STATE?
- 
Standard: Scotland Yard warns people could be arrested under anti-terror laws for viewing footage of the killing of US journalist James Foley

quinta-feira, fevereiro 05, 2015

PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃO: Estado Islâmico VENDE, CRUCIFICA e ENTERRA crianças vivas no Iraque

Crianças da minoria Yazidi, fugidas da violência na cidade iraquiana de Sinjar oeste de Mosul, refugiam-se na província de Dohuk, no Iraque

A cada dia surgem novas informações sobre o vasto leque de atrocidades cometidas pelos terroristas do Estado Islâmico. Nesta quarta-feira, a ONU denunciou mais barbáries contra crianças iraquianas sequestradas: elas são vendidas em mercados como escravas sexuais e muitas são mortas, crucificadas ou enterradas vivas, segundo o Comitê das Nações Unidas para os Direitos da Criança.

Meninos iraquianos menores de 18 anos estão cada vez mais sendo usados pelos jihadistas em ataques suicidas, como fabricantes de explosivos, informantes ou escudos humanos para proteger instalações contra ataques aéreos.

A agência da ONU denunciou "a matança sistemática de crianças pertencentes a minorias religiosas e étnicas cometida pelo assim chamado Estado Islâmico, incluindo vários casos de execuções coletivas de meninos, assim como relatos de crianças decapitadas, crucificadas e enterradas vivas".

"Estamos profundamente preocupados com a tortura e o assassinato destas crianças, especialmente daquelas que pertencem a minorias, mas não só das minorias", disse Renate Winter, especialista do comitê, em boletim à imprensa. "A abrangência do problema é enorme”.

Crianças da minoria yazidi ou de comunidades cristãs, e também xiitas e sunitas, têm sido vítimas da selvageria do EI. "Temos tido relatos de crianças, especialmente crianças com problemas mentais, que foram usadas como homens-bomba, muito provavelmente sem sequer entender a situação", declarou a especialista à agência de notícias Reuters. "Foi publicado um vídeo [na Internet] que mostrava crianças de muito pouca idade, aproximadamente 8 anos ou mais novas, já sendo treinadas para serem soldados."

Um grande número de crianças foi morto ou ficou seriamente ferido durante ataques aéreos ou bombardeios das forças de seguranças iraquianas, e outras morreram de "desidratação, inanição e calor", acrescentou o comitê. Além disso, o Estado Islâmico cometeu "violência sexual sistemática". "Crianças de minorias têm sido capturadas em vários lugares... vendidas no mercado com etiquetas, etiquetas de preço nelas”, disse Renate Winter.

Um relatório elaborado por dezoito especialistas independentes pede às autoridades iraquianas que adotem todas as medidas necessárias para "resgatar as crianças" sob controle do grupo terrorista e processar os criminosos.

Queimado vivo – O Estado Islâmico divulgou nesta terça-feira um novo vídeo macabro mostrando o piloto jordaniano Moaz Kesasbeh sendo queimado vivo dentro de uma jaula. Ele foi levado pelos terroristas no final de dezembro, depois que o avião que pilotava caiu na região de Raqqa, na Síria. Antes do piloto, os jihadistas haviam decapitado vários reféns, incluindo dois japoneses executados em janeiro.

Via: http://veja.abril.com.br/

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Estado Islâmico divulga vídeo de piloto jordaniano queimado vivo



Mesmo decapitando cristãos, mutilando genitais de mulheres, e queimando estrangeiros, o Sr. Papa socialista Francisco disse que o Islã é a "religião de paz"...

Negociações entre governo da Jordânia e extremistas não evitaram a morte de Moaz al-Kassabeh. Autenticidade das imagens ainda será confirmada

O Estado Islâmico (EI) divulgou, nesta terça-feira (3), vídeo que registraria o assassinato de Moaz al-Kassabeh, piloto jordaniano que estava sob a posse do grupo terrorista. A veracidade das imagens ainda não foi confirmada pelas autoridades.

Fonte: Livertar.in

Sem correção da tabela, contribuintes estão pagando mais IR do que devem

Os contribuintes estão pagando mais Imposto de Renda do que devem. Há dois motivos para isso: nos últimos anos, a tabela de desconto na fonte vem sendo corrigida por índices abaixo da inflação; neste ano, especificamente, a tabela ainda não foi corrigida.

A falta de correção da tabela ocorreu porque em agosto do ano passado a medida provisória nº 644, que corrigia os valores em 4,5%, perdeu validade por decurso de prazo.

No final do ano, o Congresso aprovou a correção da tabela em 6,5%, mas a presidente Dilma Rousseff vetou o reajuste no início deste ano sob o argumento de que "a medida traria perda de R$ 7 bilhões aos cofres da Receita".

O governo prometeu que vai enviar uma nova MP ao Congresso corrigindo a tabela em 4,5% (centro da meta de inflação). Se isso ocorrer, o limite de isenção subirá dos atuais R$ 1.787,77 para R$ 1.868,22.

Enquanto a correção não é feita, os contribuintes estão pagando mais, num verdadeiro confisco tributário. "Corrigir a tabela abaixo da inflação é uma forma de aumentar a carga tributária das pessoas físicas", diz o advogado César Moreno, do escritório Braga & Moreno Consultores e Advogados.

Estudo feito pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) mostra que a defasagem na correção da tabela está em 64,3% nos últimos 19 anos (entre 1996 e 2014, a tabela foi corrigida em 98,6%, enquanto o IPCA, o índice oficial de inflação no país, subiu 226,3%). Para zerar essa defasagem, o limite de isenção teria de ser de R$ 2.937,30.

Mas não é apenas a falta de correção da tabela que leva os contribuintes a pagar mais do que devem.

Segundo Moreno, outra forma consiste em manter baixos os limites das despesas dedutíveis da base de cálculo do IR, mais especificamente das despesas com educação e com dependentes.

"Os limites anuais de dedução dos gastos com educação e dependentes [R$ 3.375,83 e R$ 2.156,52, respectivamente] são absolutamente incompatíveis com os valores praticados na vida real. E o efeito disso é muito simples: mais imposto a pagar", diz Moreno.

Dessa forma, "ainda que o contribuinte gaste -e certamente gasta- mais com educação e dependentes, não poderá deduzir da base de cálculo além dos limites estabelecidos", diz o advogado.

Um exemplo: um contribuinte que estude em escola particular, ou que tenha filhos estudando, gasta pelos menos R$ 20 mil por ano (para cada um). Resultado: esse contribuinte deveria poder abater os R$ 20 mil (por pessoa), mas a legislação só permite a dedução de R$ 3.375,83. Assim, R$ 16.624,17 (para cada um) não deveriam ser tributados. Como são, esse contribuinte paga mais do que deveria.

NOVA TABELA

Se o governo decidir corrigir a tabela nos próximos meses, mas não adotar efeito retroativo (ou seja, se a tabela não valer desde janeiro deste ano), o imposto pago a mais nos meses em que não houver a correção não será devolvido aos contribuintes.

Essa "devolução" poderia ser feita de duas formas. A primeira, com as empresas compensando o que foi retido a mais na fonte nos meses em que não houve a correção (o valor a mais seria descontado dos pagamentos futuros). A segunda, na declaração do IR a ser entregue em 2016. Nesse caso, a tabela anual teria de ser feita considerando 12 meses com o novo limite de isenção.

Em números, o limite de isenção seria, por exemplo, 12 vezes R$ 1.868,22 (ou R$ 22.418,64). Supondo que a tabela para 2015 seja corrigida apenas para nove meses do ano, teríamos R$ 16.813,98 (nove vezes R$ 1.868,22) mais R$ 5.363,31 (três vezes R$ 1.787,77), o que resultaria em R$ 22.177,29.

Fonte: Jornal Piracicaba

Para passar, 1º lugar da UFRGS em medicina eliminou Facebook e WhatsApp

Acorda cedo, vai para o cursinho, almoça, participa de aulas especiais para quem quer prestar medicina, vai para casa, continua estudando, janta, dá mais uma lida na matéria, toma banho e dorme.

Essa foi a rotina diária de Bruna Sollitto, por quatro anos, para finalmente conseguir, neste ano, passar em medicina em uma universidade pública.

Para se classificar em 1º lugar na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), ela deixou de lado baladas, amigos, namoro, filmes e shows de rock. Adeus, Facebook e WhatsApp.

Para não entrar em colapso diante de uma carga tão intensa de estudos, a jovem de 21 anos buscou refúgio em um hobby antigo, o desenho. Nos poucos momentos de descanso, pegava um pedaço de papel e um lápis para rascunhar rostos e personagens.

"Gosto de desenhar. Sempre dava um tempinho. O desenho foi minha válvula de escape", afirmou a estudante que vive com os pais na Vila Mascote, zona sul de São Paulo.

Escola particular

Bruna fez a educação básica em escolas particulares em São Paulo. Quando terminou o ensino médio, encarou quatro anos de preparatório para o vestibular. Foram dois anos no Objetivo e os dois últimos no Poliedro.

Após quatro anos de cursinho e uma rotina de 14 horas de estudos todos os dias, incluindo sábados e domingos, Bruna sente que conseguiu cumprir seu dever. Mesmo assim, se surpreendeu com a primeira colocação na UFRGS que utiliza a nota do Enem pelo Sisu como processo seletivo.

"Foi uma surpresa. Não pensei que eu fosse passar em primeiro lugar. Eu sabia que tinha feito um bom Enem, mas medicina é medicina, né?", contou.

Bruna já havia passado no curso desejado em uma universidade pública antes. No começo de 2014, foi aprovada na UFF (Universidade Federal Fluminense). No entanto, achou que não se adaptaria ao Rio de Janeiro e, por isso, insistiu em mais um ano de cursinho.

A estudante admite estar bastante apreensiva quanto a morar em Porto Alegre. Ela sempre viveu em São Paulo, com os pais. Além disso, vai visitar o Rio Grande do Sul pela primeira vez nesta semana, justamente no período de matrícula.

"Certamente, vou ter uma vida diferente da que eu levo em São Paulo. Porto Alegre é uma capital de Estado, mas parece ser um lugar mais tranquilo do que onde eu vivo", afirmou. "Vou ficar bem longe da minha família e ainda tenho de ver onde eu vou morar. É preocupante, não conheço a cidade. Não sei se vou me adaptar. Na teoria tudo parece ser legal, mas a prática é bem mais complicada."

Moda

A jovem paulistana já chegou a cursar um semestre de faculdade. O curso escolhido na ocasião, porém, não tem absolutamente nada a ver com medicina. Após dois anos de cursinho e, cansada de tentar ser médica, Bruna se matriculou em moda.

Não deu certo. Apesar de adorar desenhar, o curso não tinha sua cara, segundo ela. Medicina era uma paixão mais antiga e muito mais arrebatadora. A estudante abandonou a faculdade, trocou de cursinho e focou no sonho.

Mesmo distante mais de 1.100 km de seus pais – que sempre estiveram no quarto ao lado -, em uma cidade nova, ao lado de pessoas que nunca viu antes na vida, Bruna diz ter certeza de que vai gostar do curso. Quer dizer, quase: "Não tenho medo de não gostar de medicina. Acho difícil que isso aconteça... mas a gente nunca sabe, né?".

Fonte: Uol

Brasileiro na fila da morte 'criou mundo próprio e acha que não será executado'

A família do paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, que aguarda sua execução na Indonésia por tráfico de drogas, tentará a transferência dele para um hospital psiquiátrico após o diagnóstico de esquizofrenia, o que poderia adiar o cumprimento da sentença.

Gularte, de 42 anos, está preso desde julho de 2004, após tentar entrar na Indonésia com 6 kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe. Ele foi condenado à morte no ano seguinte.

Seus dois pedidos de clemência foram negados pelo presidente e, segundo a imprensa local, sua execução poderia ser realizada neste mês.

Uma prima de Rodrigo, Angelita Muxfeldt, está na Indonésia e disse que o brasileiro "criou um mundo paralelo".

"Ele está num quadro de paranoia. Ele criou um outro mundo, que tudo isso que está acontecendo não é verdade, que ele não vai ser executado. Ele não consegue entender essa realidade", disse Angelita à BBC Brasil por telefone.

"Ele não reclama de nada. Inclusive, quando a gente falou que queria tirá-lo para um hospital, ele disse que não. Ele diz que não tem que ir para o hospital. Que é perigoso ir para o hospital, que lá dentro ele está seguro".

A confirmação do quadro de esquizofrenia poderia adiar a execução do brasileiro, já que, segundo o advogado de Gularte, a lei proíbe a morte de um prisioneiro que não esteja em plenas condições mentais, disse um funcionário da embaixada brasileira em Jacarta.

Uma psiquiatra examinou Gularte na prisão e recomendou sua internação, disse o funcionário brasileiro.

A embaixada apresentou um pedido de transferência ao procurador-geral e outro médico deverá examinar o brasileiro para estabelecer um laudo, o que deverá ocorrer na próxima semana.

Gularte já teria tentado suicídio uma vez, em 2006, disse a prima.

Segundo a imprensa local, o nome dele está na lista de réus que deverão ser executados ainda neste mês, mas a embaixada brasileira disse não ter sido informada oficialmente. A execução na Indonésia é por fuzilamento.

'Fechando a aura'

Angelita esteve com Gularte na terça-feira e disse que ele está sozinho numa cela, "magro, mas bem".

"Ele usa um boné virado para trás, que ele não tira de jeito nenhum. Ele diz que está fechando chakras da aura para protegê-lo... Tenho visto que ele não tem trocado de roupas. Eu levei roupas para ele e ele não troca. É da doença", disse.

"Ele nega o problema. Na última vez que estive lá, eu levei uma cópia da primeira página do "Jakarta Post" onde o nome dele está na lista. Eu acredito e senti que pode ser que ele tenha pensado mais que isso pode ser verdade."

O jornal citou uma autoridade local dizendo que eles "estão prontos" para as execuções, e que é "só uma questão de apertar o botão".

No mês passado, outro brasileiro condenado à morte por tráfico de drogas na Indonésia - o carioca Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos - foi executado com outros cinco prisioneiros, apesar do pedido por clemência feito pela presidente Dilma Rousseff.

O presidente indonésio, Joko Widodo, se elegeu no ano passado após prometer rigor no combate ao crime e que negaria pedidos de clemência.

O grupo Anistia Internacional tem pedido que as iminentes execuções sejam canceladas e que este tipo de punição seja abolido.

"Crimes devem ser punidos, entretanto não há qualquer evidência de que a pena de morte desencoraje ou seja mais efetiva na repressão à criminalidade", disse Maurício Santoro, assessor de direitos humanos da Anistia Internacional no Brasil, em comunicado.

"A pena de morte transforma a justiça em vingança e o Estado em algoz. É inadmissível em qualquer circunstância, seja qual for o crime cometido", disse.

Fonte: Uol

terça-feira, fevereiro 03, 2015

Crise Hídrica no Brasil: Águas nos reservatórios do Sudeste podem gerar energia por um mês

A água disponível nos reservatórios das hidrelétricas da região sudeste, considerada a caixa-d'água do sistema, é suficiente para a geração de energia por um mês. É o que calcula o diretor da Coppe/UFRJ, Luiz Pinguelli Rosa.

Pinguelli enviou na semana passada uma carta ao ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, alertando para a situação e pedindo a adoção de medidas para racionalizar o consumo no país.

O diretor terá uma audiência no ministério na próxima segunda-feira (9).

Em seminário "A crise hídrica e a geração de energia elétrica", promovido na tarde desta segunda pela Coppe, no Rio, Pinguelli afirmou que "já passou da hora de se adotarem medidas para redução do consumo".

Além de uma conta muito mais alta para quem consome muito, Pinguelli sugeriu, por exemplo, que se crie um mecanismo para regular a temperatura em que operam os ar-condicionados de grandes centros comerciais, com shoppings e hotéis, e também de repartições públicas.

"A medida imediata é economizar. Já passou da hora de o governo atuar na demanda. Chamar isso de racionamento é uma decisão política", disse ele que não defende por enquanto cortes de energias deliberados.

O cálculo apresentado foi feito com base em estudo do engenheiro Roberto de Araújo, diretor do instituto Ilumina, que acompanha o setor de energia. Araújo dividiu a carga, que é a demanda por energia, pelo quanto os reservatórios conseguem gerar no nível em que estão.

Araújo também acredita que as medidas que o governo venha a fazer na parte da demanda estão atrasadas. Ele defendeu a desoneração de impostos para as lâmpadas de LED, por exemplo.

Ele afirmou que há distorções que precisam ser corrigidas até para que as pessoas contribuam melhor com o sistema.

"Se a pessoa tem um painel solar no teto de casa e consome menos do que ele gerou no mês, ela ganha um crédito na distribuidora. Quando ela vai usar esse crédito, ela paga ICMS por isso. Não faz sentido pagar imposto sobre uma energia que ela mesma produziu", disse.

O presidente da consultoria PSR, Mário Veiga, defendeu uma revisão do preço da energia que é cobrado da indústria e do comércio.

Esses dois setores têm uma energia mais cara à noite, no antigo horário de pico, entre 18h e 21h.

Uma parte desses setores, a fim de driblar o alto preço, passou a utilizar geradores.

Segundo cálculo da PSR, em todo o Brasil são 9 mil MW que deixam de ser consumidos no antigo horário de pico.

Veiga sugeriu a instituição de uma tarifa mais cara no novo horário de pico, atualmente entre 14h e 16h, e negociar com quem liga o gerador a noite que passe a fazê-lo à tarde. Dessa forma, 9 mil MW poderão ser economizados no horário de maior consumo.

"A única coisa que pode fazer a diferença para chegarmos no final do ano com uma situação menos apertada é a adoção já de medidas do lado do consumo", disse Veiga.

Fonte: Folha Uol

quinta-feira, janeiro 29, 2015

Desemprego em 2014 foi de 4,8%, menor nível desde 2002, segundo IBGE

A taxa de desemprego no ano passado teve média de 4,8%, a menor registrada desde 2002, quando começou a série. Em 2013, esse nível foi de 5,4%.
Os dados fazem parte da PME (Pesquisa Mensal de Emprego), que foi divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (29).
Em 2014, a média anual da população desocupada foi estimada em 1,176 milhão de pessoas, 10,8% abaixo da média de 2013, quando era 1,318 milhão. Já a média da população ocupada teve um recuo de 0,1% em relação ao ano anterior, passando de 23,116 milhões de pessoas para 23,087 milhões.
Em dezembro de 2014, o nível de desemprego chegou a 4,3%, queda em relação anovembro, quando era 4,8%. A taxa registrada no mês foi igual em comparação ao mesmo período de 2013, mantendo o menor nível de toda a série histórica.
A PME é baseada nos dados das regiões metropolitanas de Recife (PE), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). A pesquisa não inclui no cálculo de desemprego pessoas que não estão trabalhando, mas também não estão buscando emprego‏.

Três regiões registram aumento na população desocupada

Três regiões metropolitanas pesquisadas tiveram aumento na população desocupada, na comparação entre 2014 e 2013: Salvador (14,8%), Porto Alegre (8,7%) e Recife (1,8%). A maior redução registrada foi no Rio de Janeiro, caindo 23,4%. São Paulo teve queda de 16,5% e Belo Horizonte de 12,5%.

Rendimento médio cai na comparação com novembro

O rendimento médio real dos trabalhadores em dezembro teve queda de 1,8% em relação a novembro, passando de R$ 2.161,93 para R$ 2.122,10. Na comparação com o mesmo mês de 2013, quando era R$ 2.089,57, o aumento foi de 1,6%.
Em dezembro, o número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado foi estimado em 11,8 milhões, mantendo-se estável na comparação com novembro e também em relação ao mesmo período do ano anterior. 

PME vai continuar em 2015

O IBGE estudou parar de realizar a PME neste ano, mas decidiu mantê-la.
Em 2015, serão duas pesquisas mensais sobre mercado de trabalho do instituto. Além da PME, divulgará também a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domícilios) Contínua Mensal, que inclui dados de todos os Estados.
A primeira Pnad Contínua Mensal será publicada no dia 12 de março, com dados de janeiro deste ano. O IBGE também deve divulgar toda a série histórica, iniciada em janeiro de 2012.
Na avaliação do IBGE, a Pnad Contínua Mensal ainda tem uma série histórica muito curta, por isso manteve a PME, que teve a atual série iniciada em março de 2012. O instituto, porém, não descarta interromper a PME em 2016.
Além das pesquisas mensais, o IBGE vai manter a Pnad Contínua, com dados trimestrais. Na última divulgada, referente ao 3º trimestre de 2014, a taxa de desemprego registrada foi de 6,8%.

Do UOL, em São Paulo

Estado Islâmico convoca muçulmanos a perseguirem cristãos em todo o mundo

Terror: Estado Islâmico convoca muçulmanos a perseguirem cristãos em todo o mundo
Mohammad al-Adnani, porta-voz do Estado Islâmico
Os extremistas do Estado Islâmico fizeram uma convocação aos muçulmanos de todo o mundo para que persigam os cristãos de forma ininterrupta. A mensagem, destinada aos simpatizantes do terrorismo religioso, foi entregue em tom de ameaça aos seguidores de Jesus Cristo.
Mohammad al-Adnani, porta-voz do grupo terrorista, disse que as ações perpetradas pelos muçulmanos nos países do Oriente Médio e em Paris, na França, são apenas o começo da perseguição.
“Pedimos aos muçulmanos da Europa e do Ocidente infiel que ataquem em todos os lugares […] Nós prometemos aos cristãos que eles continuarão vivendo em estado de alerta, de terror, de medo e de insegurança […] Vocês ainda não viram nada”, afirmou al-Adnani, de acordo com informações do jornal Correio do Povo.
A promessa de perseguição não se resume aos cristãos: o Estado Islâmico tem como uma de suas bandeiras a aniquilação de Israel, ideia que é compartilhada por outros grupos islâmicos, e que já recebeu demonstrações de simpatia de governantes de países como o Irã, por exemplo.
Em outubro de 2014, o Estado Islâmico se referiu aos fiéis em Jesus Cristo como seus maiores inimigos, e orienta aos muçulmanos que usem todas as ferramentas à disposição para matar cristãos: “Quebre a cabeça deles com uma pedra, ou mate-os com uma faca, ou atropele-os com seu carro, ou derrube-os de um lugar alto, ou sufoque-os, ou envenene-os… Você pode destruir tanto seu sangue quanto sua riqueza”, sugere um dos vídeos publicados pelos terroristas.

Reféns

O assassinato de reféns em frente às câmeras vem se tornando uma das principais características do grupo terrorista, que demonstra uma certa preferência por jornalistas.
Em agosto do ano passado, o jornalista norte-americano James Foley foi decapitado em frente às câmeras, após ser obrigado a ler um comunicado dos terroristas. No começo de janeiro deste ano, muçulmanos simpatizantes do Estado Islâmico perpetraram um ataque à sede do jornal semanal francês Charlie Hebdo, dizendo ser uma “vingança” às charges de Maomé feitas pelo periódico.
Agora, o jornalista japonês Kenji Goto, convertido ao cristianismo, está sob ameaça de morte caso o governo japonês não obriga a Jordânia a libertar uma terrorista presa. Caso as exigências do Estado Islâmico não sejam atendidas, a execução de Goto está marcada para hoje, 28 de janeiro.

Reféns

O assassinato de reféns em frente às câmeras vem se tornando uma das principais características do grupo terrorista, que demonstra uma certa preferência por jornalistas.
Em agosto do ano passado, o jornalista norte-americano James Foley foi decapitado em frente às câmeras, após ser obrigado a ler um comunicado dos terroristas. No começo de janeiro deste ano, muçulmanos simpatizantes do Estado Islâmico perpetraram um ataque à sede do jornal semanal francês Charlie Hebdo, dizendo ser uma “vingança” às charges de Maomé feitas pelo periódico.
Agora, o jornalista japonês Kenji Goto, convertido ao cristianismo, está sob ameaça de morte caso o governo japonês não obriga a Jordânia a libertar uma terrorista presa. Caso as exigências do Estado Islâmico não sejam atendidas, a execução de Goto está marcada para hoje, 28 de janeiro.

quarta-feira, janeiro 28, 2015

Pesquisa diz que 45% admitem fazer sexo sem camisinha, diz ministério

Dados mostram que 94% reconhecem eficiência do método de prevenção.
Pasta lança campanha que inclui distribuição de 120 milhões de camisinhas.

Pesquisa diz que 45% admitem fazer sexo sem camisinha, diz ministério

Dados mostram que 94% reconhecem eficiência do método de prevenção.
Pasta lança campanha que inclui distribuição de 120 milhões de camisinhas.

Mateus Rodrigues/Do G1 DF

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante lançamento de campanha de prevenção de DST/Ainds no Ministério da Saúde (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)O ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante lançamento de campanha de prevenção de DST/Ainds no Ministério da Saúde (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Pesquisa do Ministério da Saúde com base em dados de 2013 mostrou que 94% da população sexualmente ativa reconhecem a eficiência da camisinha como prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/Aids), mas que 45% admitem que não recorreram ao método nos 12 meses anteriores ao levantamento. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (28), durante lançamento de campanha de prevenção de DST/Aids no carnaval, que aconteceu na sede da pasta federal.

saiba mais

Segundo o ministério, os dados estão dentro do previsto e são semelhantes aos levantamentos de 2004 e de 2008. Na primeira pesquisa, 58% admitiam ter se relacionado sexualmente sem preservativo e 96,9% reconheciam a eficiência da camisinha. Em 2008, 48% declararam ter feito sexo sem preservativo e 96,6% tinham a percepção da importância na prevenção de doenças.
“Isso significa, de maneira muito contundente, que não podemos continuar lidando na sociedade brasileira apenas com o preservativo. É uma mensagem muito clara. A camisinha perde seu espaço? Em hipótese alguma. Mas precisaremos lidar com outras estratégias”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.
Na pesquisa de 2004, a taxa de detecção entre jovens de 15 a 24 anos era de 9,6 casos por 100 mil habitantes. Em 2013, o índice subiu para 12,7 casos. Para o ministro, o avanço na qualidade de vida dos pacientes soropositivos resultou em uma geração com menos medo de contrair a doença. Como exemplo, ele citou artistas e personalidades que morreram em decorrência da Aids nos anos 1980 e serviram como “referência” para gerações anteriores.
“Nós não podemos continuar desconsiderando essa mudança. Isso tem a ver com a história natural da doença, atualizada para os padrões de 2015. Ela não é a mesma doença de 30 anos atrás”, disse Chioro. “Não podemos passar a ideia de que, por haver medicação eficaz, a doença é uma coisa glamurosa. Temos que pensar em dimensão coletiva, afinal, é uma DST. A interrupção da cadeia de transmissão é desejável.”
O levantamento também mostra que a porcentagem de pessoas que tiveram mais de 5 parceiros eventuais no último ano subiu de 9,3%, em 2008, para 12,1% em 2013. A população sexualmente ativa com mais de 10 parceiros na vida subiu de 25,9%, em 2008, para 43,9%, em 2013.
“Há bastante tempo, vem se discutindo que o aumento dos casos de Aids pode estar relacionado a uma geração com mais liberdade sexual que a anterior. Houve um crescimento importante no número de pessoas com mais de 10 parceiros sexuais na vida”, diz o diretor do departamento de HIV/Aids do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.
Campanha
Com base na pesquisa, o ministério lançou nesta quarta-feira (28) a campanha de prevenção e combate à Aids para o carnaval de 2015. Com a hashtag “#partiuteste”, o governo pretende atingir jovens de 15 a 25 anos com o objetivo de reforçar a prevenção, o teste e o tratamento da doença no Sistema Único de Saúde (SUS).
“Nâo vamos usar o #partiuteste apenas no carnaval, mas em todo o ano. É uma maneira de fazer mobilização com uma linguagem próxima aos jovens. Várias iniciativas, utilizando mídias sociais, estão sendo desenvolvidas. Quem vê aparência não vai conseguir identificar se a outra pessoa da relação tem ou não o HIV”, declarou Chioro.
A testagem de sorologia para HIV também será reforçada pela campanha, mas não há uma estratégia unificada para oferecer os exames. “O Ministério da Saúde trabalha com os municípios e estados. Alguns já anteciparam que vão fazer em clubes, sambódromos ou carnavais de rua, espaços para a testagem de sorologia. Outros disseram que vão convocar os foliões para fazerem a testagem depois. A estratégia é variada, como foi nos anos anteriores”, diz o ministro.
Camisinhas nos aeroportos
O Ministério da Saúde informou que vai disponibilizar 120 milhões de preservativos na campanha de prevenção de DTS/Aids para o carnaval de 2014. Segundo a pasta, são 70 milhões de camisinhas adquiridas mais 50 milhões de produtos que já estavam no estoque.

A iniciativa inclui a instalação de máquinas de camisinhas nos aeroportos de Salvador, na Bahia, de Recife, em Pernambuco e no Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Os terminais estão entre os de maior movimento de pessoas durante o carnaval.

As ações da Petrobras caíram em torno de 10%após divulgação do balanço da Petrobas

O mercado reage mal à divulgação do balanço não auditado da Petrobras nesta quarta-feira (28), que não incluiu as perdas decorrentes das denúncias de corrupção na Operação Lava Jato, como era esperado e havia sido sinalizado pela companhia.

A estatal divulgou durante esta madrugada que teve um lucro líquido de R$ 3,087 bilhões no terceiro trimestre do ano passado, uma queda de 38% em relação ao trimestre anterior.

Desde o início da manhã, as ações da Petrobras caíam em torno de 10%, empurrando para baixo o Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira. Em Nova York, os papéis da petroleira também perdiam perto de 10%.

"Esse balanço certamente impacta de forma negativa nos mercados, porque ele não mensura o que estava faltando [referente às denúncias] e contraria o que a própria Petrobras havia sinalizado anteriormente [de que as perdas seriam incluídas]", diz o economista Jason Vieira.

Graça Foster, presidente da Petrobras/GNews (Foto: Reprodução GloboNews)Graça Foster, presidente da Petrobras, diz que
inclusão de perdas no balanço é "impraticável"
(Foto: Reprodução GloboNews)

Para Paulo Cabral Bastos, economista da mesa de operações da Gradual Investimentos, o balanço, da forma como foi divulgado, não tem credibilidade. "É muito ruim para o mercado, uma vez que se esperava que compras superfaturadas e outras irregularidades fossem contabilizadas".

Bastos diz que a divulgação do balanço serviu mais para a estatal não se complicar com os credores internacionais e ter condições de rolar sua dívida, do que para tranquilizar os investidores.

Em nota assinada pela presidente da estatal, Graça Foster, a empresa diz que concluiu "ser impraticável a exata quantificação destes valores indevidamente reconhecidos, dado que os pagamentos foram efetuados por fornecedores externos e não podem ser rastreados nos registros contábeis da companhia".

Petrobras nos últimos dias

image

 

"Em suma, os depoimentos aos quais a Petrobras teve acesso revelaram a existência de atos ilícitos, como cartelização de fornecedores e recebimentos de propinas por ex-empregados, indicando que pagamentos a tais fornecedores foram indevidamente reconhecidos como parte do custo de nossos ativos imobilizados, demandando, portanto, ajustes", diz Graça.

Justificativas a investidores
No relatório, a presidente da estatal, Graça Foster, justifica em um texto a acionistas e investidores o atraso na divulgação do balanço. Ela afirma que a empresa continua trabalhando para produzir as demonstrações financeiras revisadas pela PwC (auditoria que seria responsável pelo balanço auditado) "no menor tempo possível" e diz que "entende que será necessário realizar ajustes nas demonstrações contábeis".